Do que se trata tomar os pais?

Pais e Filhos - Constelação Familiar

Tomar é um ato intencional de estar conectado com. Então, se diz que os pais dão a vida aos filhos... e que a ordem nos relacionamentos entre pais e filhos é que estes filhos tomem seus pais. Ou seja, recebam, aceitem seus pais da forma como são, com a história que tem. Sem querer mudá-los. Tomar é um ato de resignação, de humildade, de reconhecer os pais como grandes e se colocar como pequenos perante eles. Angelica Olvera, famosa na área da Pedagogia Sistêmica, cheia de bom humor, "brincou" no Seminário do Bert Hellinger, que deveríamos "tomar" pai e mãe três vezes ao dia... Como se fizesse analogia à prescrição de algo a ser tomado pra promoção de saúde ou tratamento de doenças.
Muitas vezes negligenciamos a saúde das relações, dos relacionamentos. E esta saúde começa exatamente aqui... nos primeiros relacionamentos de nossas próprias vidas (na verdade, começa ainda antes, com a história familiar dos pais). Relacionar-se bem ou mal, afeta o estado de saúde física. Pois, tudo está interligado. Impossível separar o emocional do corpo e o corpo dos relacionamentos. Da mesma forma, dizemos em relação ao relacionamento conjugal. O mesmo, da forma como ocorre, também começa bem antes de se conhecer o próprio cônjuge. E aí, neste sentido, além de tomar os próprios pais, é importante dar um bom lugar no seu coração aos pais do seu par também. É este movimento de honra e respeito àqueles que vieram antes que fortalecerá o casal, bem como aos filhos deste casal também. 
 
Exercício para Tomar os Pais
 
Em um momento e lugar tranquilo emita a frase: "Eu te vejo, você me deu o bem maior que foi a vida e  eu te honro, você é grande e eu sou pequena (o)." Em casos de dificuldade em emitir esta frase, persista... se a dificuldade permanecer, procure a ajuda de um profissional. Talvez alguns aspectos do relacionamento parental precisem ser melhor trabalhados antes que ocorra essa harmonização.  
 
Juliana de Sousa Pires - Psicóloga e consteladora